Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pinceladas Quotidianas

Pinceladas Quotidianas

Xinti na Kriolu

PICT2179.JPG

Nha Donita ku Nho Tóti mancebadu maz di 40 ano na sês kaza di tedja la Txada Baxu . Nha Donita fla ma é ka pidi kazamento pamodi é xinti brugonha poi véu ku grinalda pamodi é ka staba nobu y djê tinha dôs fidjo na pé y na kel tempu Nho Dóti era rapaz nobu na si mãe. É matuta é fla dento del si:"Mintxu téra dja passa simentera". 
Ma Nho Tóti gostaba del simé. Trimodi noiba sincera nês mundu ka tem.
Nha Donita ku Nho Tóti ti oje ka briga ku kumpanheru. Nem partidos ka danaz ti oje.


Nhó Tóti manda prega fotu di bandera di PAIGC na parede di sê kuarto e el fla ma el é stréla negra ti móri. Nha Donita na idos anos 90 ta korreba traz di Veiga na Kampanha. Kamisola ku boné era el ki ta daba tudo vizinhos. Nhó Tóti ti oje ka fla nada pamodi sê mudjer djunta ku rabentolas. Trimodi na Kabu Verde sem partido bu ka ninguem.


Ma pamodi mundo é bemba na 2004 Nho Tóti internadu na Hospital ku dor na kuluna kenha ki djudal era um médico rabentola ki pagal tudu tratamentu. Na kel dia pa li na sis kaza ka papiadu maz di politika. Nha Donita ta bendi longuiça ku pon na Cais y Nho Tóti riba si banquinho forado ku napa brumedjo é ta tirsi si padja pa bendi kankan.
Na Txada Báxu ora ti ta kumemoradu 14 di Febreru tudo alguém ta lebaz presente y ta daz parabéns pamodi pa vizinhos ês é um casal exemplar ki ka dêxa sês diferensas trapadja sês amizadi.

Texto: Maria José Macedo

 

Casamento da Magui

1__BzFJFehV1WmGPJHrpF6OQ.jpeg

Nha Txutxa di Nhu Minguinho mulher viúva que fora bem casada na Zona de Várzea professava a fé cristã através da Igreja Católica. A sua fé era manifestada de várias formas e casar a filha através da Igreja Matriz era um desses sonhos que iria brevemente realizar-se. Era no ano de 1993, num Maio ameno o mês das noivas e da virgem Maria. Tinha recebido duas cartas nos Correios. Um do seu filho Carlos Eduardo que vivia na Alemanha e outra da sua filha Margarida que vivia em Portugal há já mais de 13 anos. Na carta da filha esta manifestava o desejo de celebrar o matrimónio em Cabo Verde com os familiares.

Estava radiante ao saber que a sua filha Margarida ou Magui como era carinhosamente tratada por ela viria para Cabo Verde celebrar o matrimónio. Finalmente a sua menina travessa iria sossegar-se pensou ela radiante com um riso maroto nos lábios. Pensou logo na possibilidade de partilhar a novidade com a sua comadre Natin di Putxa.

 

Silêncio

dc506700fc8b38b33ea76c739c5de3d8.jpg

Para ficar com Félix, Catarina tinha sempre ceder e perdoar. Eram frequentes as críticas do marido e a paranóia que este tinha de que vivia com uma esposa não apropriada para atender as suas exigências. Assim, quando algo de mal acontecia com ele no escritório fazia questão de murmurar palavras entre os dentes atribuindo a culpa ao mau relacionamento que mantinha com a Catarina , vinte anos mais jovem do que ele. Num dia nublado Catarina saiu para ir comprar flores e pastas de atum. No caminho encontrou-se com a sua vizinha do condomínio a dona Hermínia. Esta confidenciou-lhe de que o Félix falava mal dela com elementos da sua família .

Mais sobre mim

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D